INSTITUTO CULTURAL RAÍZES

INSTITUTO CULTURAL RAÍZES
CONHEÇA E ACOMPANHE O INSTITUTO CULTURAL RAÍZES

CONHEÇA A TV RAÍZES DA CULTURA

CONHEÇA A TV RAÍZES DA CULTURA
SEJA UM(A) APOIADOR(A)

domingo, 7 de fevereiro de 2021

NOSSA HISTÓRIA

                              



O Início da Caminhada

MARACATU AFROBATUQUE é um grupo percussivo, que tem sua origem no município de Floresta, a partir do dia 02 de setembro de 2011, quando se deu início a experiência do Projeto Afrobatuque-Tambores da Resistência, com a realização de oficinas de Maracatu de Baque Virado e de Afoxé realizadas pelo Instituto Cultural Raízes, com crianças, adolescentes e jovens da cidade e da zona rural do município.

Projeto Afrobatuque também interagiu com o Projeto JUVENTUDE E CULTURA, atendendo a meninas remanescentes quilombolas, integrantes do primeiro Grupo Cultural criado pelo Instituto Raízes em Floresta, chamado de Grupo Dandara, além de atender crianças, adolescentes e jovens em três comunidades rurais e uma comunidade quilombola do município.


1ª Apresentação de Maracatu em Floresta - Dia 18 de Dezembro de 2011

Já no dia 18 de dezembro de 2011, ocorreu a primeira apresentação pública de Maracatu, durante a realização do 1º Encontro de Tradições Culturais das Comunidades de Floresta, na Fazenda Malhada Vermelha, evento este organizado pelo Instituto Raízes.

Na oportunidade a apresentação se deu em nome do Grupo Dandara, as quais foram pioneiras no surgimento do nosso Maracatu.


No período de janeiro a agosto de 2012, as oficinas aconteceram nas comunidades rurais e na comunidade quilombola, atendendo a um público em torno de 90 (noventa) pessoas.

A realização do projeto contou com a parceria e o apoio do Instituto da Juventude, que viabilizou os recursos necessários ao desenvolvimento das atividades.


No dia 1 de julho de 2012, o Instituto Raízes, promove um primeiro encontro de todas as turmas que participavam das oficinas de Maracatu. O momento ocorreu durante o Encontro de Tradições Culturais realizado na Fazenda Boqueirão, sede da Comunidade Quilombola.

A partir de finais de agosto de 2012, tendo finalizado as oficinas da primeira etapa do Projeto Afrobatuque, bem como do Projeto Juventude e Cultura, o Instituto Raízes deu início a etapa seguinte do Projeto Afrobatuque, atendendo prioritariamente às crianças, adolescentes e jovens da Comunidade do Bairro do Vulcão, reunindo remanescentes quilombolas residentes na localidade e em situação de vulnerabilidade pessoal e social.  

O Projeto buscou a vivência permanente com vários ritmos afro-brasileiros, especialmente o Afoxé e o Maracatu de Baque Virado, como forma de resgate da identidade cultural, da construção da autoestima e eliminação de preconceitos, bem como do sentimento de pertencimento e a formação cidadã.

As oficinas eram realizadas inicialmente na sede do Instituto Raízes, más com o crescimento da participação, passou-se a realizar pelas ruas do bairro e localidades próximas.



O Grupo Afrobatuque

A primeira apresentação de Maracatu (já como resultado das oficinas), se deu no dia 20 de Novembro de 2012, DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA, realizada sob a coordenação do Instituto Cultural Raízes em Floresta-PE, em cuja oportunidade já se denominou o Maracatu de GRUPO AFROBATUQUE.

A partir de então o grupo se consolidou, vindo a adotar em Maio de 2013, o nome de Grupo Afrobatuque - BAQUE DE LUANDA, resultante do processo de pesquisa que estava sendo realizado, buscando conhecer melhor a história e os fundamentos do Maracatu Nação ou Maracatu de Baque Virado, como é também conhecido.



O marco desse momento, foi a apresentação realizada no dia 25 de maio de 2013, quando o Grupo se apresentou no projeto Cultura Livre nas Feiras, em Floresta/PE, projeto esse que estava sendo realizado pela Fundarpe.

Oficinas com a Nação do Maracatu Porto Rico

Em julho de 2013, ocorre a transformação decisiva na vida do Grupo, quando após o aprofundamento das pesquisa e estudos, o Instituto Raízes com o apoio do Instituto da Juventude, promove a vinda à Floresta do Mestre Shacon Viana da Nação do Maracatu Porto Rico e da Mestra Joana Cavalcante da Nação do Maracatu Encanto do Pina, para a realização de oficinas e palestras sobre o Maracatu, sua história, fundamentos e tradições.



A partir de 2013 até o presente momento, o Maracatu Afrobatuque tem realizado diversas apresentações em escolas municipais e estaduais, Instituto Federal, eventos cívicos/públicos e mobilizações sociais e, Projeto Cultura Livre nas Feiras em Floresta, além de realizar oficinas e ensaios permanentes e semanais na Comunidade do Vulcão e em outras localidades do município.

O Grupo é responsável ainda por organizar e coordenar o Cortejo Cultural do 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra em Floresta, desde o ano de 2012.



Um dos principais Grupos Culturais do Sertão de Pernambuco

O Maracatu Afrobatuque ultrapassou as fronteiras locais, levando sua experiência em oficinas e apresentações (Cortejos Culturais e Palco) a diversos municípios (principalmente no sertão pernambucano), tornando-se um dos principais grupos de Cultura Popular e Afrobrasileira do Sertão e único grupo de Maracatu da micro-região do Sertão de Itaparica, sendo referência no resgate e preservação das tradições culturais afrobrasileiras.

Influências Culturais


O Maracatu Afrobatuque desenvolve suas atividades seguindo a base percussiva da Nação do Maracatu Porto Rico e, realiza uma ampla e permanente pesquisa/estudos sobre as origens e tradições do Maracatu, valorizando também as contribuições de artistas pernambucanos à exemplo de Luiz Gonzaga, Naná Vasconcelos e Lenine.

Sede do Maracatu Afrobatuque

O Maracatu Afrobatuque se reúne e se organiza na Sede do Instituto Cultural Raízes, localizada à Rua Eloi Torres de Barros,81, no bairro Escondidinho, em Floresta/PE.

São realizados ensaios e oficinas todos os finais de semana. Entre as oficinas destaca-se a percussão, construção de instrumentos, artesanato, danças, cantos e audiovisual.

Também são realizados estudos e debates permanentes com temas voltados principalmente para as origens e tradições da Cultura Afrobrasileira e Indígena.


Fundador e Coordenadores

O Maracatu Afrobatuque foi idealizado e fundado por Libânio Francisco da Paixão Neto.

Contamos com uma Equipe de Coordenação formada por 7 (sete) pessoas, as quais são responsáveis pela organização, mobilização, comunicação, figurino, construção de instrumentos e realização de oficinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário